Tag Archive: religião


“A maioria dos autores “crentes” contemporâneos e posteriores à Segunda Guerra Mundial enfatiza a necessidade de repensar Deus não mais como o ‘Todo-poderoso’, mas como o ‘não-poderoso’, esse que se deixa pregar na cruz, que se apaga diante da liberdade humana”, escreve Frédéric Lenoir em artigo publicado no Le Monde des Religions, 01-01-2011. Lenoir é diretor de redação do Monde des Religions. A tradução é do Cepat.

Eis o artigo.

Quando foi feita a pergunta “Você acredita em Deus” a Albert Einstein, este respondeu: “Me diga o que você entende por Deus e eu te direi se creio nele ou não!”. Seu interlocutor ficou calado. E por quê! Quando se diz “Deus”, de que Deus se está falando? Do Deus ao qual os astecas sacrificavam crianças? Do Deus pessoal da Bíblia que fala a Moisés e aos profetas? Do Deus de Espinosa que se identifica com a natureza? Do Grande Relógio de Voltaire? Mesmo no interior de uma tradição como o cristianismo, as imagens de Deus são inúmeras: o que há de comum entre o Pai amoroso de Jesus “que faz brilhar o sol tanto sobre os bons como sobre os maus” e o padre Fouettard do século XIX que, pela boca de muitos clérigos, ameaça o menor pecador com o fogo eterno? Entre o Deus da Madre Teresa, em nome do qual ela deu sua vida a serviço dos mais despojados, e o do Grande Inquisidor, que estava convencido de ser seu mais fiel servidor ao condenar à fogueira os heréticos?

Diante das aberrações da religião, os “mestres da suspeita” vão desenvolver uma crítica radical de Deus e da fé. Denunciada como uma alienação intelectual por Augusto Comte, como uma alienação antropológica por Ludwig Feuerbach, como uma alienação econômica por Karl Marx e como uma alienação psíquica por Sigmund Freud, a fé em Deus é vista pelos principais pensadores do final do século XIX como a sobrevivência infantil de uma necessidade de segurança que impede o homem de atingir sua plena estatura. Continuar a ler

Portugal é dos países que mais bem recebe os muçulmanos na Europa e um dos Estados cujos habitantes têm uma visão mais positiva dos praticantes do Islão.
A conclusão é de um estudo, levado a cabo pela Universidade de Munique, em que foram analisadas as atitudes de habitantes de cinco países: Portugal, França, Dinamarca, Holanda e Alemanha, sendo este país divido entre leste e ocidente.
Em praticamente todas as áreas de análise, Portugal é o país que fica mais bem visto em termos de integração e ausência de preconceitos. Por exemplo, os portugueses são os que mais consideram que o Islão tem lugar no mundo ocidental: 36% responde favoravelmente, bem acima dos 20% de alemães de leste que têm esta visão.
Os portugueses são também os que têm menor imagem negativa dos muçulmanos de todos os países sondados, abaixo dos 34%. Tanto a Alemanha ocidental como a oriental registam valores acima dos 50%.
Cerca de 20% das pessoas têm uma imagem negativa dos judeus, e cerca de 16% em relação a hindus e budistas.
No que diz respeito ao apoio pela construção de mesquitas e de minaretes, um assunto que tem estado na ordem do dia internacional, os portugueses são também os mais abertos: mais de 73% vê com bons olhos a construção de mesquitas, embora na questão dos minaretes os números desçam para 53,4%. Ainda assim, são os mais altos dos países inquiridos.
Curiosamente, os portugueses são também os que revelam conhecer menos muçulmanos. Mais de 74% afi rmam que não conhecem nenhum e menos de 15% afirmam que conhecem muitos ou poucos.
No plano mais geral, e embora pareça contraditório, 52% dos portugueses inquiridos consideram que o pluralismo religioso constitui uma ameaça, mas mais de 81% consideram que representa, também, uma fonte de enriquecimento cultural.

Lido in Página1, 14|Dez.|2010

Top das religiões dos 250 milhões de utilizadores do Facebook
1.º Cristianismo
2.º Islamismo
3.º Ateísmo
4.ºAgnosticismo
5.º Hinduísmo
6.º Budismo
7.º Judaísmo
8.º Espirituais
9.º Sikh
10.º Jedi

(Revista Pública 15.09.2010)