Com motivo da celebração da Mesa Redonda sobre Redes Sociais e Educação 2.0 lancei uma pergunta ao twitterspacio educativo na procura de uma definição do termo Educação 2.0 e este foi o maravilhoso resultado. Muitíssimo obrigado a todos:

@josema_castro: Os Alunos tomam controlo da sua própria aprendizagem; papel orientador do professor e uso inteligente da tecnologia;

@dreig Em outros termos, educação para a inovação em um mundo que necessita disso;

@a_namaste Para mim é dar asas à educação;

@vcuevas Para mim é a construção social do conhecimento, onde o aluno é o grande protagonista e a aprendizagem se dá em qualquer meio;

Enfatiza @juandoming: Não só o protagonista da sua educação, se não o máximo responsável e, esta é a chave, devemos pensar bem, inclusive, os responsáveis pela sua avaliação. Responde @vcuevas: Na aprendizagem e na avaliação, como parte dele, há uma componente social muito alto. Insiste @juandoming: A feição social quase é tudo na educação, é mais, sem ele não existe educação. Termina @vcuevas: As TIC permitem sair da sala de aula, aprender a qualquer hora e com qualquer pessoa, permite ligar-te a outros para compreender o mundo;

@davidniubo define-se em uma palavra: Educação2.0 é colaboração;

@ftsaez Educação 2.0 é abrir “janelas-cabo” na mente e na aula para que se arejem e possam sair para conhecer o mundo exterior. Mais adiante, em outro twitter aponta, a Educação 2.0 é a oportunidade de contribuir para uma socialização mais rica aos nossos estudantes através dos ecrãs;

@miquelduran Educação 2.0 combina a aprendizagem formal e a informal, torna a escola mais transparente, localiza-se no meio global do educador. Depois, em outros dois twitters, clarifica Na educação 2.0 existe um processo osmótico que aumenta a concentração de conhecimento na escola e coincide com outros em que Na educação 2.0 os professores e os alunos são ao mesmo tempo actores e directores do processo de aprendizagem;

@NievesGlez Educação 2.0 é descer do estrado e compartilhar a autoridade, questionar-se continuamente, questionar as verdades de sempre;

@blogocorp Para mim Educação 2.0 é aproveitar 2.0 para converter a educação numa conversa enriquecedora, enfatizando posteriormente a educação entendida como um processo bidireccional, em nenhum caso “dominada” pelo professor!

@arponero Educação 2.0: a informação é acessível desde qualquer sítio, pelo que o importante é ensinar/aprender a usar bem;

@lernys gentil e atento, como sempre, escreve-nos um post http://bit.ly/faPFh9 e antecede: Educação 2.0, ou melhor educação expandida;

@jjdeharo Educação 2.0 é aprender a colaborar, oferecer o trabalho próprio e respeitar o dos outros, pensamento crítico e criativo;

@balhisay ‘educação 2.0’ é aprendizagem face à docência, é dar o “giz” ao alunado para que compartilhe o seu conhecimento;

@Potachov Que o alunado seja protagonista activo e gestor da sua própria aprendizagem, com ou sem TIC;

@cristobalsuarez uma oportunidade para potenciar a interação como condição social de aprendizagem para além da aula;

Durante a mesa redonda, @jlori aportou também à definição duas palavras, e nos deixa uma simples mas clara mensagem de que Educação 2.0 é educação aberta e @daniel3 apontou que se está a produzir uma grande transformação, e que não se trata simplesmente de uma moda.

Menciono também as intervenções de @tecnoloxia que assinala que limitar à virtualidade é tão mau como continuar com o caneta e o caderno, e que há que integrar o mundo virtual com o físico, sem o abandonar. É também interessante o apontamento que nos deixa @juandoming, na sua opinião, os futuros bons professores serão os que saibam relacionar-se melhor com os estudantes, e não os mais eruditos.

Lido em Universidad Social 2.0, de J. Carlos López Ardao

[Tradução: Bento Oliveira]