Porque me é difícil confessar? Será que me falta a noção de faltas, de erros, de omissões, de pecado? Penso que não são essas a verdadeiras razões.

Não me confesso porque perdi a noção de alteridade: ser capaz de assumir perante o meu semelhante, o meu irmão, o padre, que errei, que realizei acções menos conseguidas.

Para minha defesa uso a velha máxima “confesso-me directamente a Deus”. Claro que sim. Isso é mais fácil, mais cómodo. Difícil é reconhecer as nossas fragilidades, as nossas limitações, e expressá-las.

Entra no teu quarto, a tua consciencia e limpa tudo o que há para limpar. Depois deita todas essas coisas fora.

Reconcilia-te contigo, com os teus irmãos, com Deus.

Prepara a tua “manjedoura” para que o menino nasça.