Deverá a educação preparar competidores capazes em vista do mercado de trabalho ou formar homens completos? Deverá potenciar a autonomia de cada indivíduo, muitas vezes crítica e dissidente, ou a coesão social? Deverá desenvolver a originalidade inovadora ou manter a identidade tradicional do grupo? Atenderá à eficiência prática ou apostará no risco criador?

[…] será obrigatório educar toda a gente do mesmo modo ou devem existir diferentes tipos de educação, segundo a clientela-alvo?

O valor de educar, o valor de instruir, p. 11